22 de outubro de 2009

Revoluções Puritana e Gloriosa

A Revolução Inglesa durou de 1640 até 1688. Foi uma fase que compreendeu a Revolução Puritana, o Protetorado de Cromwell e a Revolução Gloriosa.
Com a morte da rainha Elizabeth I, a dinastia dos Stuarts assume o trono inglês. Os Stuarts entraram em conflito com o Parlamento pois tentaram legalizar o Absolutismo frente ao mesmo. Sabe-se que naquela época, o poder real era exercido de fato desde os Tudors, e o poder de direito pertencia ao Parlamento. Desta forma, o Parlamento busca, a partir de então, exercer o poder de fato.
No século XVI, a burguesia se aliou aos reis, pois necessitava de um poder central para acabar com o poder dos senhores feudais, reformar a Igreja e unificar o sistema de pesos, moedas e medidas. Com a conquista destes objetivos, o poder real já não era mais necessário, portanto a burguesia tentou se livrar do poder absoluto do rei, já que o mesmo criava obstáculos que impediam o seu desenvolvimento, como as leis, os órgãos governamentais e a justiça.

Fatores que levaram à Revolução Inglesa:
- Conflitos entre o Puritanismo, cujos adeptos eram burgueses, e o Anglicanismo, defendido pelo rei.
- Alta dos impostos. Isto ocorreu pois os nobres não conseguiram competir com os burgueses na agricultura, portanto agarraram-se a renda do Estado. A solução encontrada pelo rei foi aumentar os impostos para manter a nobreza.
- Privilégios concedidos pelo rei às corporações de ofício, o que gerava insatisfação da burguesia.
- Investimentos burgueses na agricultura, incluindo a compra e exploração de terras. Para isso, era necessário expulsar os antigos rendeiros da terra, os quais eram protegidos pela nobreza e pelo rei. Portanto, gerou-se mais um conflito entre a realeza e a burguesia.

Revolução Puritana:

Diversos fatores, como já vistos, estimularam o conflito entre o Parlamento e o rei, mas a verdadeira luta começou no reinado de Carlos I, quando o Parlamento impôs que todas as medidas tomadas relacionadas a impostos, prisões, julgamentos e convocações do exército deveriam ser autorizadas pelo Parlamento. O rei não cumpriu esta imposição e logo depois dissolveu o Parlamento e governou sem ele por onze anos.
As posteriores decisões reais levantaram protestos, como a imposição do Anglicanismo aos puritanos e presbiterianos da Escócia, o que gerou imensas revoltas.
Problemas financeiros obrigaram a reabertura do Parlamento por um pequeno período, mas com a revolta separatista na Irlanda e a consequente necessidade da organização de um exército, a reunião parlamentar tornou-se obrigatória a cada três anos, e o rei perdeu o direito de dissolvê-lo.
Oliver Cromwell assumiu o comando do exército parlamentarista. Desenvolveu a organização militar, em que a ascensão de um determinado indivíduo era dada por merecimento e não mais por nascimento. O exército parlamentarista tornou-se uma poderosa força política e acabou assumindo o controle em 1649, quando implantou a República. Mandou decapitar o rei Carlos I e destituiu a Câmara dos Lordes.

Commonwealth:

Em 1649, ocorria, então, a República da Inglaterra, iniciando-se a segunda fase da Revolução Puritana, chamada de Commonwealth. Cromwell venceu Carlos II (filho de Carlos I) e dominou o Império Britânico.
Sua medida mais importante foi o Ato de Navegação, o qual instituía que todos os produtos importados pela Inglaterra só poderiam ser transportados por navios britânicos. A medida provocou um conflito com os Países Baixos, que eram grandes transportadores de mercadorias, e estabeleceu a supremacia inglesa nos mares.
Seu governo foi bastante rígido, o que fez com que o Parlamento tentasse limitar o poder de Cromwell, consequentemente, o Parlamento fora dissolvido e Cromwell pôde se declarar como o protetor da Inglaterra, Escócia e Irlanda. Nascendo o período conhecido como Protetorado de Cromwell.
Com sua morte, o poder é passado ao seu filho Ricardo, mas por ser considerado incapaz, é destituído.

De um lado os burgueses desejavam segurança e de outro, escoceses e irlandeses desejavam a monarquia de volta.
Carlos II, que estava refugiado na Holanda, retorna a Inglaterra e assume o trono, prometendo a anistia geral e tolerância religiosa. Mas nada voltara a ser como antes da República, pois a burguesia tornara-se mais forte que a nobreza, a Igreja Anglicana deixara de ser instrumento das mãos reais e o rei não passava de um funcionário da nação.

Revolução Gloriosa:
Carlos II, sentindo-se muito limitado pelo Parlamento, resolve aliar-se secretamente ao rei católico e absolutista Luis XIV da França. Isto fez com que o Parlamento suspeitasse do rei inglês e impedisse sua interferência política sem autorização parlamentar.
Seu sucessor e irmão Jaime II assume o trono, e como era católico, tomou várias medidas que favoreceram os católicos, gerando uma revolta no Parlamento, o qual chamou Maria Stuart e seu marido Guilherme de Orange para assumir o governo no lugar de Jaime II, que fugiu para a França.

Guilherme de Orange foi proclamado rei quando concordou com a Declaração de Direitos, que limitava seu poder e aumentava o do Parlamento.
A partir de então o poder real se tornava apenas de direito, pois não tinha poder algum sobre o Parlamento, que agora possuía controle sobre o trono e decidia sobre os rumos do Estado.
A Revolução Gloriosa é chamada assim pois não houve derramamento de sangue. Representou a vitória da burguesia, que agora possuía o controle total do Estado. Podendo dissolver todos os obstáculos que a impediam de se desenvolver.

A Inglaterra, depois de então, desenvolveu-se tanto que permaneceu sendo a maior potência mundial até o início do século XX.

Obs.: A primeira imagem é uma gravura representando o momento em que Carlos I é decapitado, tentando preservar a Monarquia absolutista; a segunda mostra o próprio rei Carlos I, da dinastia dos Stuarts; a terceira, o comandante Oliver Cromwell; e a quarta, o rei Guilherme III ou de Orange, indicado pelo Parlamento.

13 comentários:

  1. Adorei teu blog João,
    me ajudou super...
    Tá de parabéns muleque! :)

    http://euteamobrunoo.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oiii João,
    vlw cara, vc me ajudou bastante viu?

    ResponderExcluir
  3. Ótima ideia ter feito esse blog sobre historia.me ajudou muito.

    ResponderExcluir
  4. tbm adorei,achei super interessante, me ajudou bastante tbm ..parabens e obrigada!!!

    ResponderExcluir
  5. João Bem bolado essa ideia,meus Parabéns Rapaz.

    Obrigado pela sua Iniciativa construtiva.

    ResponderExcluir
  6. Muito boa explicação! Nota dez :D Obrigada pela ajuda!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Cara, parabéns, não deveria ter parado com o blog!
    Texto simples e claro. Parabéns e o obrigada :D

    ResponderExcluir
  8. Nossa, me ajudou bastante. Obrigado. ^^

    ResponderExcluir
  9. Lindo... Demais... Te amo João... Historia👎 João👏😍

    ResponderExcluir